Sinto-me vazio, talvez sono. É, estou com sono, fome, sem vontade de muita coisa, aparentemente cansado. Me disseram que talvez eu esteja com saudade de algo, de você, talvez, mas sei lá. Se você se foi, ou se fomos cada um para um lado, ou cada um tomou um rumo diferente nos planos da vida de difícil compreensão. Você para a direita, e eu para esquerda, e nossos caminhos não se cruzaram mais. Tudo bem, se era para ser assim, que seja. Sempre vai haver mesmo o grande cruzamento da vida, e que cada um segue seu caminho deixando sempre alguém para trás, até mesmo se for em uma amizade, ou um completo desconhecido. Sinto sua falta mesmo, e daí? Nada vai mudar. No caminho da vida, eu fiquei na curva, e você seguiu direto.
O Amor é confuso, Mark Hr. (via terminar)

14 de fevereiro de 1942, foi quando conheci Elizabeth, o mundo estava um caos devido à segunda guerra mundial, e eu, como bom militar, estava escalado na lista de confronto contra os alemães. Era jovem, vinte anos e uma vida inteira pela frente, os pais dela não eram de acordo com o nosso relacionamento, mas hoje eu os entendo, eles não à queriam ver sofrer sabendo que eu levava uma vida arriscada por amor à pátria. Nos víamos escondidos todas as noites no galpão da cafeteria, o sorriso dela enchia minha alma, ela me perguntava se eu estaria disposto à insistir no nosso amor mesmo com o mundo inteiro conspirando contra nós, não tinha nada pra dar certo, além do nosso amor. Eu não à respondia, apenas à abraçava como se estivesse dizendo - Estou aqui. 14 de março, durante um dos confrontos, fui baleado no estomago e tive sorte de conseguir me arrastar pelo campo por duas longas e torturantes horas até encontrar a base. Eu só ignorava a dor, o rosto dela na minha mente anestesiava meus ferimentos, eu não tinha o direito de partir sem antes provar que a amava, a morte não é uma desculpa. A foto dela atrás do meu medalhão me lembrava que ainda não era minha hora, com uma força descomunal consegui retornar com vida. Hoje, 17 de janeiro de 2010, ela nos deixou aos 85 anos, e nesses 65 anos juntos, eu fui a pessoa mais feliz por conseguir provar que é possível amar alguém enquanto o mundo inteiro está contra nós, e não estou falando da guerra, porque ela também teve longas batalhas sem ter pego em uma arma, batalha contra a saudade, a angustia, solidão e o desespero. Ela foi a prova viva de que devemos ir contra o mundo, independente se ele esteja em guerra ou não.
 Descanse em paz, Elizabeth, Sean Wilhelm.    (via terminar)

De alguma forma você sentirá minha falta, não que seja da mesma falta que eu talvez sinta de você, mas de alguma forma eu temo que sim. Não foi atoa que eu depositei tanto tempo em algo para acabar sem nada, e sem marcar algo na memória, e mesmo que você volte a atormentar dizendo infinitamente que não vai, eu sei que sim. De alguma forma eu sei que mesmo você negando, eu mexi com você, e você mexeu comigo. E esse é o texto do nosso fim tão esperado por você. Boa sorte, boa vida, e lhe desejo uma maré de lembranças de mim.
Mark Hr. (via terminar)

Sabe, é triste dizer isso, mas ta faltado, ta faltando sentimento, ta faltando gente querendo ter um relacionamento, gente querendo amar e ser amada, gente disposta a deixar as coisas de lado para ver o bem do outro, gente que faria de tudo pra ver um sorriso no rosto do parceiro, gente que não é só aparência e dinheiro. É, ta faltando gente boa no mundo, ta faltado..


“Tenho medo de te perder por falta de atenção ou por excesso dela. Tenho todos os motivos do mundo pra te pedir pra ficar comigo, do meu lado, mas não posso fazer isso, preciso sentir que você também quer estar comigo.”


  • Tuuuu tuuuu
  • Ela: Alo?
  • Ele: Oi pequena, sou eu. Pode me ouvir?
  • Ela: Sim. Aconteceu algo? Você parece aflito…
  • Ele: Na verdade aconteceu sim… saudade, foi isso que aconteceu…
  • Ela: Saudade de que?
  • Ele: Do que a gente foi um dia…
  • Ela: Tem certeza que quer falar sobre…
  • Ele: [interrompendo ela] Por favor - com voz de choro - apenas me escute, pode desligar na minha cara se não quiser me ouvir, mas preciso falar algumas coisas pra você, a escolha é sua…
  • Ela: Pode dizer…
  • Ele: “Minha pequena”, sabia que eu amo te chamar assim? “Minha”. To com saudade do que a gente era, do que a gente jurava sentir um pelo outro, do que a gente um dia chegou a dizer que seria para sempre. Bateu saudade de te ver com o cabelo bagunçado e usando minha camisa como “vestido”, ah minha pequena, sabia que eu ainda lembro todo os dias da gente? Será onde foi que a gente errou? Era ciumes demais? O que foi que saiu errado? Não eramos perfeitos? Pequena, minha pequena, hoje quando eu coloquei a cabeça no travesseiro eu lembrei do nosso primeiro beijo, comecei a chorar, por algumas horas hesitei em te ligar, mas não resisti, precisava te dizer o que estou sentindo agora. Vai chegar uma carta pra você, escrevi antes de criar coragem pra te ligar. Você foi a primeira e até hoje a unica pessoa que conseguiu fazer meu coração disparar do primeiro ao ultimo dia do seu lado. Pequena, ta frio ai?
  • Ela: [disfarçando o choro] Não, não muito, mas porque a pergunta?
  • Ele: Por nada, só não tinha o que falar…
  • [Silencio]
  • Ele: [aos prantos] Eu te amo pra sempre minha pequena![barulho de aguá ao fundo]
  • Ela: Eu também te amo, sempre te amei!
  • [Silencio]
  • Ela: Hey, está ai pequeno?
  • [Silencio]
  • Ela: Por favor pequeno, me responde!
  • Tu Tu Tu Tu…
  • Ela: [Pensando] Devem ter acabado os créditos dele, vou tentar ligar… -“Este telefone está fora de área ou desligado”- ele deve ligar de novo…
  • - Ela acabou dormindo na esperança de receber outra ligação dele, de poderem combinar um reencontro. No outro dia ao acordar o seu pai lhe entregou uma carta:
  • Pai: Está carta é pra você filhinha, não fala de quem é…
  • Ela: Obrigada pai.
  • - Ela abre a carta e logo reconhece a letra do seu pequeno:
  • Carta: Oi pequena, como você vai? A quanto tempo a gente não se fala não é mesmo? Saudades da gente… Então pequena, nesse momento você deve estar imaginando o porque de eu estar te escrevendo uma carta ao invés de lhe telefonar, é que tenho medo de não conseguir dizer por voz o que quero te falar. Minha pequena é o seguinte, eu não suporto mais a minha vida, tá tudo dando errado depois que você me deixou, tá uma confusão, não consigo fazer nada tão bem como antes, minha inspiração acabou desde que você se foi. Eu tentei durante alguns dias escrever ou até mesmo ligar pra você, mas ao começar a escrever eu fazia da carta uma bola e tacava ao lixo, pensava comigo mesmo “O que diabos eu estou fazendo?”. Pequena, não sei mais o que escrever, agora você já deve ter percebido que ainda te amo, mas sei que você não me ama mais… pensei que seria pra sempre… Enfim, só queria escrever pra lhe dizer que essa é a ultima vez que a gente se fala. Seja feliz, você merece! Te amo pra sempre!
  • - Ela sem entender aquilo que acabara de acontecer corre chorando ao pai:
  • Ela: Pai, quem te deu essa carta??
  • Pai: Estava na caixa do correio filha, porque?
  • Ela: Por nada pai, por nada…
  • - Ela resolve ir a casa dele e ao chegar la encontra a casa toda fechada e apenas um vizinho interrompendo suas batidas a porta:
  • Vizinho: Quem você está procurando moça?
  • Ela: O rapaz que mora aqui, você sabe onde ele está?
  • Vizinho: [apos um suspiro] Ele morreu…
  • Ela: [espantada] O que???
  • Vizinho: Ele se suicidou ontem a noite, parece que pulou de uma ponte…
  • Ela: [chorando muito] O senhor sabe onde está a família dele?
  • Vizinho: Estão logo ali na 2ª rua, no velório…
  • - Ela vai correndo, quase não se aguentando de tanto chorar, tentando imaginar que fosse apenas um engano do vizinho. Ao chegar ao velório ela resolve se aproximar do caixão ela não aguenta e torna a desabar em lagrimas:
  • Ela: Meu pequeno! Porque você fez isso?? Eu te amo! Eu não posso ficar sem você! Meu Deus porque você tirou ele de mim? Porque não impediu?![Ela desmaia]
  • - Ela foi levada para o hospital, e ao acordar, ainda delirando ela procura pelo seu pequeno:
  • Ela: Meu amor? Você está aqui? Vem cá amor, eu tive um pesadelo terrível!
  • - O medico a diz que ele não está ali e ela torna a desmaiar. O seu pai chega e a leva pra casa. No outro dia de manha o pai vai acordar a filha e encontra uma carta sobre a cama:
  • Carta: Oi pai, bom dia! Não se preocupe, não fugi de casa. Pai, por favor seja forte, diga para a mãe que… Pai, você sabe o que aconteceu ontem não é? Eu perdi meu pequeno, pai, me desculpe. Esses últimos dias eu não estava doente em nenhum dos dias em que fui dormir cedo meu pai, apenas estava triste, triste a ponto de querer apenas dormir. Faltei alguns dias a aula, aquilo estava insuportável (meu pequeno tinha trocado de escola). A gente tinha brigado, ciumes… a meses que a gente não se falava. Como a gente foi idiota, sabe pai… Eu amo ele mais do que tudo, mas fui orgulhosa e não tive a coragem de ir atras dele e dizer isso. A culpa do que aconteceu é minha. Me perdoe pai, mas eu não conseguiria viver sem ele. Adeus.
  • - O pai se desespera ao ler a carta e corre para a policia pra tentar encontrar a filha. Ao saber da carta a policia decide ir a ponte mais perto da casa dela, a mesma onde o rapaz havia se matado, ao chegar na ponte eles encontram uma pulseira:
  • Pai: Essa pulseira é da minha filha seu guarda, encontre ela por favor!
  • Policial: Fique calmo senhor.
  • - Ao fundo um dos policiais chama seu capitão:
  • Policial: Capitão, tem um corpo de uma garota aqui! Parece que ainda tem pulsação!
  • Pai: É ela! Filha! Filha! Por favor acorde filha!
  • - Eles levam a garota para o hospital e o pai aguarda aflito noticias da filha:
  • Medico: Você é o pai da garota da ponte?
  • Pai: Sim sou, ela esta bem doutor?!
  • Medico: Milagrosamente sim, ela vai sobreviver, apesar de ter engolido muita aguá. Até parece que alguém a tirou da aguá… O anjo da guarda dela é muito forte senhor.
  • - Ao voltar a casa o pai se depara com outra carta e resolve ler antes de mostrar a filha:
  • Carta: Oi minha pequena, deixei essa carta com uma amiga minha, pedi pra ela colocar no correio caso algo acontecesse comigo. Sabe o porque de outra carta? Pra você saber que eu sempre vou ser seu anjo, que eu sempre vou te proteger. Eu juro minha pequena, nunca vou deixar nada acontecer com você, mesmo não estando do seu lado. Te amo para sempre!
  • - O pai emocionado resolve entregar a carta para a filha:
  • Pai: Tome filha, é pra você [chorando]
  • - Ao ler a carta a filha se emociona e chora… até que ela resolve virar a carta e olhar o verso:
  • Verso: Um dia vai me ver de novo, um dia em outro lugar quem sabe a gente volte a ser o que era antes. Enquanto isso não acontece eu serei seu anjo da guarda, eu serei quem vai te impedir de fazer qualquer besteira! Always and forever […]



Outro dia, fiquei pensando no mundo sem mim. Há o mundo continuando a fazer o que faz. E eu não estou lá. Muito estranho. Penso no caminhão do lixo passando e levando o lixo e eu não estou lá. Ou o jornal jogado no jardim e eu não estou lá para pegá-lo. Impossível. E, pior, algum tempo depois de estar morto, vou ser verdadeiramente descoberto. E todos aqueles que tinham medo de mim ou que me odiavam enquanto eu estava vivo vão subitamente me aceitar. Minhas palavras vão estar em todos os lugares. Vão se formar clubes e sociedades. Será nojento. Será feito um filme sobre a minha vida. Me farão muito mais corajoso e talentoso do que sou. Muito mais. Será suficiente para fazer os deuses vomitarem. A raça humana exagera tudo: seus heróis, seus inimigos, sua importância.
Charles Bukowski. (via distanciarei)

Virei pro lado, fechei os olhos … E me deu saudade. Puta merda, me deu muita saudade.
Sorry, I’m not Chuck Bass.  (via promisse)


Eu acredito em você, mas você mente. Eu espero e você não vem. Eu te chamo e você não ouve. Mas eu acredito no nosso amor, você ainda vai tomar jeito. Eu acredito me enganando, eu te amo sem você me amar.
Caio Augusto Leite.   (via vinculoeterno)


Você não precisa trazer nada, só você mesmo. Você nem precisa dizer alguma coisa no telefone. Basta ligar e eu fico ouvindo o seu silêncio. Juro como não peço mais que o seu silêncio do outro lado da linha ou do outro lado da porta ou do outro lado do muro. Mas eu preciso muito, muito de você.
— Caio Fernando de Abreu


Não finja que gosta de mim, por favor. Obrigado.



And let it flow.

Eu quero que se foda essa porra de sociedade.
»
theme by desesperançoso. don't fuckin' copy.